quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Odontologia Preventiva e Comunitária - Níveis de prevenção


Preventiva  - Níveis de prevenção:

Período pré patogênico:  interação preliminar entre agente e hospedeiro, sem que o homem seja atingido por estímulos intensos para provocar alteração na sua estrutura física e psíquica.

Fase pré-patogênica:
Inespecífica:
 Interface no inicio de cada doença, quebra do equilíbrio, depende agentes potenciais, de fatores ambientais e das condições do individuo.
obs: quebra do equilibro , início da doença.
Específica: depende de fatores ambientais que favoreçam o aparecimento de determinada doença/ produção de estímulo. Ex: inalação de chumbo.
obs: depende apenas de estímulo específico no caso ambiental.

Período patogênico: inicio da ação de estímulos produtores de alteração físicas ou psíquicas do homem e termina com a cura, incapacidade ou morte.
obs: fase da doença instalada com sinais e sintomas.

Fase patogênica – clínica :
Precoce: aparecimento dos primeiros sinais e sintomas, não a modificações significativas no estado de saúde.
Avançada: presença de todos os sinais e sintomas da doença.

Fase pós patogênica: Fase das conquências, cura , sequelas, morte.

ESQUEMA: Equilibrio entre agente, hospedeiro , meio ambiente é rompido, Início da doença ,ausência de sintomatologia.

Inicio aparente da doença: A doença surge quando aparece a sintomatologia. (LIXO)

Período de incubação: entre inicio real e inicio aparente da doença.
obs: não apresenta sinais e sintomas e cessa ao aparecer os primeiros.

Período prodromico: Período inicial de uma doença infectocontagiosa e pode ser que não apareça em todas as doenças, sinais e sintomas genéricos não característicos.
obs: sinais e sintomas mínimos.

Período de estado da doença: presença de todos os sinais e sintomas da doença.

Período de convalescença:  sinais e sintomas começam a desaparecer e o indivíduo começa a melhorar.

Termino aparente da doença: desaparecimento total dos sinais e sintomas. (doença ainda presente)

Termino real da doença: equilíbrio reestabelecido.

Se não curar – morte ¬¬
A doença pode não terminar, tornando-se crônica ou pode terminar deixando sequelas.

Recaída: após termino aparente da doença ela reaparece. (falha no tto)

Recidiva: Ocorre o termino real da doença mas o indivíduo readquire a mesma doença. (falha na prevenção)

NÍVEIS DE PREVENÇÃO
:
Prevenção sentido restrito: evitar que um dano aconteça (período pré-patogênico.)
obs: prevenção antes de ocorrer desequílibrio.

Prevenção sentido amplo: evitar que um dano aconteça ou na impossibilade, limita-lo o quanto antes.

Prevenção primária:  ocorre com a intercepção dos fatores pré patogênicos.
1º NP: promoção da saúde.
2º NP: Proteção específica.

Prevenção secundária: é realizado sob o indivíduo com a doença instalada.
3º NP: Diagnóstico precoce e tratamento imediato.
4º NP: Limitação do dano (invalidez)

Prevenção terciária: consiste na prevenção da incapacidade através de medidas destinadas a reabilitação.
5º NP: reabilitação.

1º NP; Promoção da saúde: criar condições favoráveis para que o individuo tenha maiores condições de resistir ao ataque de uma doença ou grupo de doenças. 
- medidas inespecíficas       - melhor qualidade de vida.
2º NP Proteção específica:  Proteção do indivíduo com determinada doença. Ex: dengue, propagandas na tv.
3º NP Diagnóstico precoce e tratamento imediato:  Identificação e tratamento o mais cedo possível o ideal é conseguir diagnosticar nas fases iniciais e tratar.
4º NP limitação do dano: Quando houver falha nos níveis anteriores, devemos em qualquer fase em que se encontre a doença, procurar limitar o dano, evitar um mal maior, sintomatologia específica.
5º NP Reabilitação: A doença evolui até sua fase final, indivíduo lesado pela doença portador de sequelas, imcapacidade total ou parcialmente.
Prevenção para que o indivíduo não se torne uma carga para si próprio ou para seus familiares.
Reabilitação física, funcional, estética , social e psicológica.

NÍVEIS DE APLICAÇÃO: relacionadas indiretamente com os níveis de prevenção, exceto 1º.

Ação coletiva:
medidas favoráveis para todos, um grupo.

1º Nível de aplicação:
Ação governamental ampla:
  é ação para programas de grande envergadura tais como: melhorar o nível da população e geralmente tem implicações socioeconômicas e exige ação coordenadas de todo o governo da nação. Ex: programa nutrição.

2º Nível de aplicação:
Ação governamental restrita:
Ação do governo dirigida a um problema de saúde pública. Ex fluoretação das águas envolve duas secretarias ( saúde e obras públicas.)

3º Nível de aplicação:
Ação profissional paciente:
e ação bilateral do paciente e profissional necessário para aplicação dos terceiros, quarto  e quinto níveis de prevenção onde se introduz o fator econômico, na prestação de serviços.

4º Nível de aplicação;
Ação pessoal auxiliar-paciente: É a simplificação do método anterior, por pessoal auxiliar, utilizando trabalho mais simples, aumentando a aplicação em grande escala, reduzindo o custeio.

5º Nível de aplicação:
Ação individual: constitui métodos de prevenção por decisão do próprio paciente.
É de difícil aplicação pois exige muitas vezes mudança de comportamento e de hábitos tradicionais da vida. Ex: modificação da técnica de escovação oral ou no tipo da dieta.

IDEAIS NÍVEIS DE APLICAÇÃO E PREVENÇÃO PARA A SAÚDE PÚBLICA:
Níveis de prevenção:
é o segundo (prot. Específica), e o terceiro (diagn precoce e tratamento imediato) .
Níveis de aplicação: segundo (ação governamental restrita) e quarto (ação auxiliar-paciente).
Hoje usa-se 2º  Nível de aplicação (ação gov. restrita) e o 3º Nível de aplicação. (prof. Paciente).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário